Escola Paulista de Medicina
Postgraduate Program Name

2017 - O PAPEL DAS NARRATIVAS COMO RECURSO DIDÁTICO NA FORMAÇÃO HUMANÍSTICA DOS ESTUDANTES DE MEDICINA E ENFERMAGEM (Maria Auxiliadora Craice De Benedetto)

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO
PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM SAÚDE COLETIVA
DEPARTAMENTO DE MEDICINA PREVENTIVA
MARIA AUXILIADORA CRAICE DE BENEDETTO
O PAPEL DAS NARRATIVAS COMO RECURSO DIDÁTICO NA FORMAÇÃO HUMANÍSTICA DOS ESTUDANTES DE MEDICINA E ENFERMAGEM
São Paulo
2017
Tese apresentada à Universidade Federal de São Paulo – Escola Paulista de Medicina – para a obtenção do Título de Doutor em Ciências.
Orientador: Professor Doutor Dante Marcello Claramonte Gallian

FICHA CATALOGRÁFICA:

De Benedetto, Maria Auxiliadora Craice
O Papel das Narrativas como Recurso Didático na Formação Humanística dos Estudantes de Medicina e Enfermagem / Maria Auxiliadora Craice De Benedetto. – São Paulo, 2016. 263.
Tese apresentada como requisito para a obtenção do título de Doutor em Ciências – Universidade Federal de São Paulo, Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva, 2017.
Orientador: Dante Marcello Claramonte Gallian
Título em inglês: The Role of Narratives as a Didactic Resource in Medical and Nursing Education.
1. Narrativas Médicas. 2. Literatura e Medicina. 3. Educação Médica e de Enfermagem. 4. Humanização. 5. Reflexão.

>>> TESE COMPLETA

RESUMO

Introdução: o modelo biomecânico de ensino e prática da Medicina, alicerçado na especialização, fragmentação e tecnologia, trouxe inúmeras vantagens para o cuidado aos doentes, tendo sido responsável pela diminuição ou abolição de grande parte do sofrimento humano decorrente de doenças e traumatismos. No entanto, por não considerar as dimensões sutis do ser humano, tão importantes na forma como os indivíduos adoecem e nos processos de cura, tal modelo trouxe consigo limitações. Ainda que novos modelos tenham sido introduzidos e incorporados em cenários didáticos e clínicos, uma das consequências desse enfoque predominantemente biomédico ainda se encontra entre as principais queixas dos usuários dos sistemas de saúde. Trata-se da desumanização em saúde. Em nosso país, o Sistema Único de Saúde – com a criação da Política Nacional de Humanização – e os sistemas de saúde privado têm buscado estratégias para enfrentar a questão. Estas dependem da presença de profissionais de saúde bem preparados de um ponto de vista técnico e humanístico. As maiores deficiências concernem à formação humanística, a qual começa a ser fomentada em algumas instituições de ensino mediante o ensino das Humanidades. Objetivo: investigar a efetividade da utilização de narrativas – relatos de História Oral de Vida de pacientes transplantados cardíacos e de seus familiares, narrativas médicas e narrativas literárias – como fonte de reflexão e recurso didático na formação humanística do estudante de Medicina e Enfermagem. Metodologia: optou-se pela escolha de métodos qualitativos alicerçados na História Oral de Vida e Fenomenologia Hermenêutica. O objeto de estudo foi uma disciplina eletiva denominada Narrativas em Saúde – um caminho para a humanização, a qual foi oferecida a dois grupos de cerca de vinte e cinco estudantes de Medicina e Enfermagem. Os dados foram provenientes de três fontes – observação participante, entrevistas dos estudantes obtidas mediante a abordagem da História Oral de Vida e narrativas apresentadas pelos mesmos em uma sessão de narrativas realizada a título de avaliação final. Os dados foram interpretados por meio da técnica de imersão / cristalização. Resultados: a partir das narrativas compartilhadas emergiram muitos subtemas, os quais foram organizados nos seguintes temas maiores: da morte ao renascimento da narrativa – um caminho para a reflexão; quebrando o isolamento para reconhecer questões emocionais e sentimentos; empatia; currículo oculto; das narrativas à humanização: fomentando o profissionalismo. Considerações finais: os resultados decorrentes da experiência didática demonstraram que, em um curto espaço de tempo, foi possível percorrer muitas das questões essenciais que povoam a vida dos profissionais de saúde, sendo que as narrativas representaram, ao mesmo tempo, um estímulo e um meio para a reflexão, propiciando um aprimoramento dos relacionamentos interpessoais, a contemplação da afetividade e o reconhecimento da necessidade constante de uma busca de sentido nas práticas da saúde.

Palavras-chave: Narrativas Médicas. Literatura e Medicina. Educação Médica e de Enfermagem. Humanização. Reflexão.

ABSTRACT

Introduction: The biomechanical model of teaching and practice of medicine, based on specialization, fragmentation and technology, is responsible for innumerable advantages to patient care and for reducing or abolishing much of human suffering causes by diseases and injuries. However, because it does not consider the subtle dimensions of human being, so important in the way individuals become ill and in healing processes, such a model presents limitations. Although new models have been introduced and incorporated into didactic and clinical settings, one of the consequences of this predominantly biomedical approach is still among the main complaints of health systems users. It is about dehumanization in health. In Brazil, the Unified Health System – with the creation of the National Humanization Policy – and private health systems have sought strategies to face the issue. Certainly, these strategies depend on the presence of well-trained health professionals from a technical and humanistic point of view. The greatest deficiencies concern humanistic education, which starts being promoted in some educational institutions by the teaching of Humanities. Objective: to investigate the effectiveness of the use of narratives – Oral History of Life reports of transplanted cardiac patients and their relatives, medical narratives emerged in Palliative Care and literary narratives – as a source of reflection and didactic resource for humanization of medical and nursing students. Methodology: qualitative methods based on Oral History of Life and Hermeneutic Phenomenology were chosen. The object of study was an elective discipline named Narratives in Health – a way to humanization, which was addressed to two groups of twenty-five medical and nursing students. The data were collected from three sources – participant observation, interviews of students obtained through Oral History Approach and narratives presented by them in a narrative session that represented the final evaluation. The data were interpreted by immersion / crystallization techniques. Results: from the data emerged many subtopics, which were organized in the following major themes: from the death to the rebirth of narrative; breaking the isolation to recognize emotional issues and feelings; empathy; hidden curriculum; from narratives to humanization: educating good health care professionals. Final considerations: the results of didactic experience shows that, in a short period, it was possible to cover many of the essential issues that permeate the life of health professionals. The narratives represented a stimulus and a means for reflection, favouring an improvement of interpersonal relationships, the contemplation of affectivity and the recognition of the constant need for searching meaning in health practices.

Keywords: Medical Narratives. Literature and Medicine. Medical and Nursing Education. Humanization. Reflection.

© 2013 a 2021 - Universidade Federal de São Paulo - Unifesp
Rua Loefgreen, 2032 - Vila Clementino, São Paulo - SP 

Please publish modules in offcanvas position.